cirurgia robótica

Quais as diferenças entre cirurgia robótica e cirurgia laparoscópica?

A cirurgia laparoscópica foi uma das inovações que mais revolucionaram o exercício da Medicina, pois, trouxe ganhos muito significativos para o trabalho dos cirurgiões e para o tratamento dos pacientes. Porém, com a evolução da tecnologia, surgiu a cirurgia robótica.

Com isso, existe uma dúvida que paira sobre a cabeça de muitas pessoas: qual é a melhor técnica? Para obter a resposta, o primeiro passo é conhecer mais sobre essas duas alternativas. Então, continue a leitura deste post.

O que é a cirurgia laparoscópica?

A primeira cirurgia realizada por laparoscopia foi em 1987, pelo médico francês Phillipe Mouret. Desta data até o momento atual, as técnicas cirúrgicas e os equipamentos laparoscópicos evoluíram consideravelmente, permitindo que os médicos tenham acesso a todos os órgãos do corpo humano.

De modo geral, a cirurgia laparoscópica consiste na insuflação de dióxido de carbono no interior da cavidade abdominal para que se expanda e possibilite a realização da cirurgia. Posteriormente, o médico realiza uma pequena incisão para a inserção do laparoscópio, instrumento ótico que contém uma câmera na sua extremidade.

Em seguida, são realizadas mais algumas pequenas incisões para a introdução dos equipamentos cirúrgicos. Assim, por não exigir a realização de grandes cortes, o procedimento é considerado como minimamente invasivo.

Entre as principais vantagens desta técnica estão o menor trauma cirúrgico, redução da taxa de infecção, menor sangramento intra-operatório, diminuição no uso de analgésicos, menos dor pós-operatória e rápida recuperação do paciente.

Além disso, o profissional pode contar com imagens nítidas e amplas do interior da cavidade abdominal, trazendo mais precisão e assertividade. No que diz respeito às desvantagens, podemos citar os custos para sua realização e a necessidade de treinamento especial dos profissionais.

O que é a cirurgia robótica?

O uso dos robôs nos procedimentos cirúrgicos começou em 1999, com a criação do robô Da Vinci. Em função dos benefícios que trouxe para os cirurgiões e pacientes, a cirurgia robótica é considerada uma evolução da técnica minimamente invasiva laparoscópica.

Nesta modalidade cirúrgica, o médico executa todo o procedimento através de uma cabine que conta com controles manuais, painéis auxiliares e pedais. O equipamento conta com quatro braços robóticos, sendo que um deles contém a câmera.

Além da imagem 3D que pode ser ampliada em até 15 vezes, o cirurgião realiza o procedimento sentado. A ferramenta conta com dispositivos de segurança que reduzem os riscos de erros e acidentes.

De modo geral, as principais vantagens da cirurgia robótica são a recuperação ainda mais rápida e tranquila do paciente, maior precisão dos movimentos, risco pequeno de infecção, realização de incisões menores e melhores condições ergonômicas para o cirurgião.

Quando são indicadas?

As principais indicações para a cirurgia laparoscópica são aquelas relacionadas à próstata, ureter, rins, testículos e glândula adrenal. Porém, a cirurgia robótica também pode ser utilizada nesses procedimentos.

Além disso, o uso dos braços robóticos têm se mostrado mais eficaz na realização da prostatectomia radical, que é a remoção total da próstata em casos de câncer, e da cirurgia bariátrica.

Portanto, como você pode perceber, ambas as técnicas ainda são muito utilizadas na Medicina e produzem muitos benefícios para os pacientes. A principal diferença está na forma como são realizadas e na melhor recuperação oferecida pela cirurgia robótica.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião geral no Rio de Janeiro!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp