hérnia umbilical

Hérnia umbilical: O que é e quais seus tratamentos?

Hérnia umbilical: O que é e quais seus tratamentos?

A hérnia umbilical, como o próprio nome indica, é uma protuberância que se desenvolve no umbigo. A herniação pode ser vista ou sentida na região da barriga, sendo que ela acontece quando uma parte do revestimento do abdômen ou uma porção do intestino se move através da musculatura abdominal.

Vale destacar que a hérnia é bastante comum em bebês. Ela surge justamente no local da cicatriz umbilical e surge quando uma alça intestinal atravessa o tecido muscular. Tal condição é mais prevalente em crianças prematuras ou com baixo peso ao nascer, acometendo de 10 a 20% de todos os recém-nascidos.

Quer saber um pouco mais sobre a hérnia umbilical? Leia o artigo completo e entenda melhor o assunto.

Como e por que a hérnia umbilical acontece?

O anel umbilical é composto por músculos, além de outros tecidos na área em que o cordão umbilical é ligado ao corpo do feto. O normal é que esse anel se feche antes do bebê nascer, mas se esses músculos não se unem completamente, o enfraquecimento da parede abdominal pode desencadear a hérnia.

Não existe uma causa específica para o desenvolvimento da hérnia umbilical em crianças, mas o baixo peso e a prematuridade aumentam a propensão. Nos adultos, alguns fatores de risco elevam as chances de desenvolver o problema, entre eles: obesidade e sobrepeso, gestações múltiplas, cirurgia abdominal anterior, musculatura fraca, líquido na cavidade abdominal. O quadro é mais comum entre mulheres de 50 a 60 anos de idade.

Quais são os sintomas de hérnia umbilical?

O principal sintoma é o umbigo estufado, o inchaço local que fica ainda mais evidente quando o bebê está rindo, chorando ou fazendo algum tipo de esforço, como pegar peso ou evacuar. Em recém-nascidos, a hérnia aparece normalmente algumas semanas depois do nascimento, mas também pode se manifestar em crianças mais velhas.

O tamanho varia e, de modo geral, não há sintomas adicionais, como dor na região, coceira ou queimação. O incômodo costuma ser apenas estético.

Como tratar?

A maioria dos casos de hérnia são resolvidos naturalmente e a hérnia umbilical se fecha por conta própria em até 18 meses. Eventualmente a hérnia umbilical pode se agravar e gerar dor, vômitos, inchaço abdominal excessivo.

Caso a hérnia seja muito grande, duradoura, dolorosa ou gerem algum bloqueio intestinal que ameace a saúde e qualidade de vida, é importante recorrer a um tratamento efetivo para corrigir o quadro e aliviar os sintomas.

Nesse sentido, a cirurgia deve entrar em cena para diminuir os riscos de possíveis complicações, como aumento da hérnia, dor intensa ou obstrução no intestino.

A operação é de baixa complexidade, feita a partir de uma pequena incisão no umbigo. Durante o procedimento, o tecido da hérnia é recolocado dentro da cavidade abdominal e o orifício é fechado.

Nos adultos, o cirurgião costuma colocar uma tela para reforçar a área e impedir que a hérnia volte.

Quer saber mais sobre hérnia umbilical? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião geral no Rio de Janeiro!

Posted by Dr. Felipe Malafaia in Todos
7 sintomas da hérnia umbilical

7 sintomas da hérnia umbilical

A hérnia umbilical (hérnia de umbigo) tem origem quando a parede abdominal não consegue encerrar por completo as estruturas intra-abdominais. Ou seja, ela ocorre em uma área de fraqueza da parede do abdômen ao nível do umbigo, região onde a saliência é evidenciada.

A título de curiosidade, as hérnias podem afetar outras partes do abdômen, nesses casos, elas são chamadas pelo termo genérico de hérnia abdominal. Quando ela surge na área da virilha são denominadas de hérnia inguinal.

Confira, a seguir mais detalhes sobre essa condição e fique por dentro do assunto!

Sintomas da hérnia umbilical

Alguns sintomas que permitem a identificação da hérnia umbilical, são:

  1. Pode se manifestar como uma espécie de caroço no umbigo;
  2. Um nódulo que surge na região do umbigo quando a criança faz algum esforço, como rir ou chorar, desaparecendo quando ela relaxa;
  3. Tanto em crianças quanto em adultos, a área em volta do umbigo pode aumentar em até duas polegadas;
  4. O umbigo apresenta uma deformação podendo ficar distorcido e esticado;
  5. Inchaço na região que diminui quando a pessoa se deita;
  6. A pele ao redor do umbigo pode ficar azul, ficar avermelhada ou cinza por falta de circulação devido a hérnia cortar ou reduzir o fluxo de sangue;
  7. Dor, queimação e rigidez na área.

Vida normal vs hérnia umbilical

Os pacientes que tem ou tiveram hérnia umbilical podem levar uma vida perfeitamente tranquila sem que sejam surpreendidos por alguma complicação.

Porém, em raros casos, as complicações podem surgir e quando o tratamento adequado e em tempo não é feito, elas podem se agravar, podendo colocar a vida do indivíduo em risco.

A hérnia umbilical costuma aparecer com maior frequência em crianças. Na maioria dos casos envolvendo recém-nascidos a hérnia desaparece por conta própria ainda no primeiro ano de vida.

Entretanto, nos casos em que ela demora muito a encerrar, pode ser necessário que a criança passe por um tratamento cirúrgico.

Os adultos de qualquer idade também estão sujeitos a ter esse problema, mas as ocorrências acontecem em quantidade bem menor em comparação com as crianças. Além disso, elas tendem a ser mais recorrentes nas mulheres.

Reparação das hérnias umbilicais

Como apontamos anteriormente, em crianças pequenas as hérnias umbilicais costumam se curar sem que haja a necessidade de tratamento. No caso dos adultos, a reparação passa pela cirurgia tendo em vista a necessidade de diminuir os riscos e as chances de complicação.

Com relação a escolha do método cirúrgico, normalmente, os médicos observam os seguintes pontos, em relação à hérnia, antes de fazer a escolha final:

  • Quando ela torna-se muito dolorosa;
  • Quanto sua dimensão é superior a meia polegada de diâmetro;
  • Não diminui ou desaparece entre um ou dois anos;
  • Não desapareceu até os 3 ou 4 anos de idade da criança;
  • Quando restringe ou bloqueia o intestino.

Então, é isso! Esperamos que esse artigo possa ajudar a você a entender melhor sobre a hérnia umbilical. Em caso de dúvidas, sempre consulte o especialista para mais orientações.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião geral no Rio de Janeiro!

Posted by Dr. Felipe Malafaia in Todos
Qual o tratamento da hérnia umbilical

Qual o tratamento da hérnia umbilical

As hérnias ocorridas no abdômen se formam a partir da passagem de um órgão por uma fissura na parede abdominal. São 4 os tipos, classificadas conforme a região em que surgem: hérnia inguinal, hérnia incisional, hernia epigástrica e hérnia umbilical.

Apesar de ser mais frequente em crianças, as hérnias umbilicais também podem surgir em adultos. No entanto, em geral, os sinais apresentados são os mesmos nas duas fases da vida. 

A hérnia é sinalizada, principalmente, pelo abaulamento em volta do umbigo. A protuberância apresentada é indolor e tem a consistência maleável. Ao apertá-la, é possível devolvê-la de volta à cavidade abdominal. Às vezes, só dá para notá-la se a pessoa fizer esforço, como levantar peso ou tossir.

Como a hérnia umbilical surge

Durante o desenvolvimento do feto, o cordão umbilical permite a comunicação entre o bebê e a mãe, garantindo os nutrientes necessários e a troca gasosa. Quando o bebê nasce, essa estrutura perde a função e é cortada. O anel umbilical então se contrai até cicatrizar. Contudo, o processo de cicatrização pode falhar, deixando um orifício na parede do abdômen naquela região. Assim, esse canal resultante da falha na cicatrização permite a passagem de pequenas partes de alguns órgãos intra-abdominais, dando origem à hérnia.

Nos adultos, o surgimento desse problema se dá em virtude da fraqueza da parede abdominal ou devido à pressão exercida no local. Desse modo, o mais comum é aparecer em pessoas com excesso de peso, como obesos e gestantes. Nesses casos, é provável que essas pessoas já tenham apresentado o problema na infância.

Qual o tratamento das hérnias umbilicais

Das crianças que apresentam a hérnia na região do umbigo, cerca de 80% tem cura espontânea. As hérnias de até 1 cm se fecham com o desenvolvimento da musculatura da parede abdominal. Raramente apresentam qualquer tipo de complicação que exija cirurgia imediata. A cirurgia será indicada apenas nas crianças maiores de 3 anos e quando a hérnia tem extensão maior, impossibilitando o seu fechamento espontâneo.

Já nos adultos, o problema não desaparece sozinho. O tratamento indicado sempre será cirúrgico. A cirurgia é denominada herniorrafia e pode ser realizada por uma incisão no local ou por laparoscopia. Geralmente, é um procedimento bem simples. 

Quando feita por incisão externa, o paciente recebe anestesia peridural. Através do corte, a hérnia é empurrada de volta à cavidade abdominal e o local é suturado. Em alguns casos, o cirurgião opta por deixar uma rede de proteção no local para evitar o retorno do problema.

A cirurgia realizada por videolaparoscopia carece de anestesia geral. São feitas microincisões no local por onde são inseridos os aparelhos cirúrgicos. Com a ajuda deles, a hérnia é devolvida ao lugar e as microincisões são suturadas. Nesse caso, a recuperação do paciente é mais rápida, com menos dor e menor período de internação. Geralmente, a pessoa volta às atividades habituais em 2 dias.

Complicações da hérnia umbilical

Nos casos em que há complicações da hérnia umbilical, a cirurgia precisa ser imediata. Dentre as complicações estão o encarceramento e o estrangulamento. O primeiro ocorre quando uma parte do intestino fica presa no orifício, obstruindo o fluxo sanguíneo. Já o estrangulamento se dá quando o bloqueio do fluxo sanguíneo é total, provocando risco de necrose.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião geral no Rio de Janeiro!

Posted by Dr. Felipe Malafaia in Todos
O que é hérnia umbilical e quais os sintomas

O que é hérnia umbilical e quais os sintomas

O nascimento de crianças com hérnia umbilical é bem comum, de tal forma que ocorre em 10 a 20% de todos os bebês. Entretanto, é possível que essa condição se manifeste em adultos também, sobretudo em mulheres.

A hérnia, nesse caso, se caracteriza por um abaulamento na região do umbigo. Entre os adultos, os que têm mais chances de desenvolver o problema são:

  • pessoas que trabalham carregando excesso de peso;
  • praticantes de atividades físicas de alta intensidade;
  • fumantes;
  • indivíduos com histórico de aneurisma da aorta;
  • gestantes;
  • obesos.

Nos bebês, as hérnias umbilicais decorrem da não cicatrização adequada do orifício por onde passam os vasos sanguíneos do cordão umbilical. Por outro lado, nos adultos o surgimento está relacionado à pressão no local, decorrente do peso, da fragilidade da parede abdominal ou da intensidade do esforço realizado.

O que é hérnia umbilical 

Esse tipo de hérnia é caracterizada pela protusão de órgãos da região abdominal por um orifício que é formado a partir da falha na cicatrização do anel umbilical.

No decorrer da fase embrionária, o cordão umbilical serve para que haja comunicação entre o feto e a placenta. Após o nascimento, suas estruturas perdem a função. O anel umbilical então cicatriza e se fecha. Todavia, em algumas pessoas, o processo de cicatrização é falho, deixando um orifício. Assim, essa abertura que fica permite a passagem de partes de órgãos, geralmente um pedacinho do intestino, por esse canal.

Sintomas

Tanto adultos quanto crianças manifestam os mesmos sinais. O mais comum é que a hérnia seja notada pela saliência indolor e maleável em volta do umbigo, que pode ser empurrada à depressão abdominal ao ser pressionada. Em alguns casos, só é possível percebê-la quando a pessoa faz esforço ao levantar peso ou ao tossir.

Em alguns casos, as complicações consequente das hérnias umbilicais podem provocar dor, enjoo e vômito. Essas complicações são conhecidas por encarceramento e estrangulamento, explicados a seguir.

Encarceramento

Uma vez que  a hérnia é resultado de uma abertura na parede do abdomem, quando há o encarceramento, significa que um fragmento do intestino ficou preso nesse orifício. Nesse caso,  fica impossível reinseri-lo de volta à cavidade abdominal. Essa circunstância leva ao bloqueio do fluxo sanguíneo do intestino ocasionando sensibilidade, enjoo ou vômitos.

Estrangulamento

O estrangulamento ocorre quando a obstrução do fluxo sanguíneo derivado do encarceramento é total, não permitindo a passagem de sangue. Diante disso, é possível haver necrose do tecido intestinal em poucas horas.

O que fazer quando notar a hérnia umbilical?

O primeiro passo é procurar um cirurgião geral para avaliar o problema. Quando se dá na infância, em 80% dos casos irá desaparecer até os 3 anos. As hérnias umbilicais nas crianças raramente encarceram, de forma que não há necessidade de uma intervenção médica.

Em adultos, o tratamento será sempre cirúrgico. O cirurgião vai examinar a saúde geral do paciente e, em condições favoráveis, a cirurgia denominada herniorrafia pode ser realizada de acordo com as possibilidades do paciente.

A cirurgia de emergência apenas é realizada nos casos em que há complicações. Porém, não se pode prever quando uma hérnia umbilical provocará estrangulamento do intestino. Então, em meio à iminência de surgir o problema em alguma fase da vida, o recomendado é que seja operado, mesmo nos casos em que a hérnia não esteja causando nenhum incômodo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião geral no Rio de Janeiro!

Posted by Dr. Felipe Malafaia in Todos
Hérnia umbilical: sintomas, causa e tratamento

Hérnia umbilical: sintomas, causa e tratamento

A hérnia umbilical consiste em uma protuberância estranha na região do umbigo. Ela pode ser vista ou percebida quando palpada. Esse tipo de hérnia surge quando uma parte do revestimento abdominal, fluído abdominal e/ou intestino acumula-se na parede do abdômen, através da musculatura.

Este tipo de hérnia é bem comum em bebês e surge no mesmo lugar da cicatriz umbilical, o que faz com que muitos pais (especialmente os de primeira viagem) fiquem bem preocupados.

Em bebês, a hérnia umbilical é quase sempre resultado da invasão da “alça do intestino”, que consegue atravessar o tecido do músculo chegando até a parede abdominal.

Bebês prematuros e com baixo peso quando nascem possuem maior chance de ocorrência de hérnia umbilical, que afeta entre 10 a 20% de todos os recém-nascidos.

A seguir, confira mais sobre os sintomas, causas e tratamentos da condição.

Quais são as causas de hérnia umbilical?

O anel umbilical é composto por tecidos e músculos e fica no local onde o cordão se ligará ao corpo do bebê e da mãe.

Geralmente o anel é naturalmente fechado antes mesmo do bebê nascer. Mas, caso os músculos da região não se juntem perfeitamente na região do abdômen, a fraqueza pode ocasionar uma hérnia ao nascer ou, mais raramente, mais tarde.

Não existem, assim, causas para o surgimento da hérnia umbilical em bebês e crianças. Porém, nos adultos elas costumam ser:

  •  Acúmulo de líquido na cavidade do abdômen (condição conhecida como ascite)
  • Múltiplas gestações
  • Obesidade
  • Cirurgia no abdômen anterior

Sintomas da condição

As hérnias umbilicais podem ser constatadas quando o bebê ri, chora ou se esforça para fazer as necessidades. Uma protuberância ou inchaço na região próxima a cicatriz umbilical também são notados com frequência.

Na grande maioria dos casos a hérnia umbilical é percebida assim que o coto do umbigo cai, ou seja, nas semanas seguintes após o nascimento. Porém, é comum que algumas crianças demorem um pouco mais para manifestarem a condição.

Possui tamanho variado – mas dificilmente ultrapassa 2,5 centímetros de diâmetro. Além disso, a condição, felizmente, não costuma apresentar dor.

Em casos de adultos com a hérnia umbilical seus sintomas são os mesmos – ou seja, protuberância e inchaço na região do umbigo.

Tratamentos disponíveis

As hérnias umbilicais, na maioria dos casos, se fecham por conta própria – em, em média, um ano e meio (18 meses).

A cirurgia para reparo de hérnia umbilical, por sua vez, é apenas recomendada quando:

  •  A criança sente dor na região do umbigo;
  • Ela não diminui de tamanho com o passar do tempo;
  • Possuem mais de 1,5 cm de diâmetro;
  • Causam bloqueio ou prendem-se no intestino;
  • Não se fecham por conta própria até os 3 anos de idade.

Nos adultos, a cirurgia é recomendada em todos os casos – de modo a evitar complicações.

Agora você já conhece mais sobre a hérnia umbilical, assim como seus sintomas, causas e tratamentos. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião geral no Rio de Janeiro.

 

Posted by Dr. Felipe Malafaia in Todos